Blog Salto Alto

‘Dieta mágica’ do MMA elimina 15 kg em uma semana, mas pode matar

UOL Esporte

Imagine como seria eliminar até 15 quilos em apenas uma semana e sair desfilando um visual totalmente novo por ai. É mais ou menos isso o que muitos atletas do MMA chegam a perder antes do combate. Mas a realidade, segundo os especialistas, é que a “dieta mágica'' dos lutadores pode até levar à morte se for usada por “pessoas normais''.

“Uma pessoa comum pode morrer. A desidratação é algo sério, e a perda brusca de sais minerais pode levar a uma parada renal e à morte. Não aconselhamos ninguém a tentar nada parecido. O atleta profissional é preparado para algo assim, treina durante meses para isso, não é para qualquer um”, comentou Rogério Camões, preparador físico de lutadores como Anderson Silva e Ronaldo Jacaré.

Mas como funciona essa perda de peso? E por que os lutadores se sujeitam a ela? A fórmula é bem simples, na teoria, combinando cortes na alimentação com um processo de desidratação severa do corpo. Os atletas passam pelo processo justamente para estarem mais pesados e fortes na hora do duelo. Com isso, podem ter alguma vantagem na luta.

Os lutadores começam a restrição alimentar cerca de uma semana antes do confronto. Eles diminuem o consumo de carboidratos, principalmente aqueles com altos índices glicêmicos, como pães e bolachas, sem parar com os treinamentos.

O campeão dos penas do UFC, José Aldo, chega a eliminar 10 kg na semana da luta, por exemplo. Nos dias que antecedem o combate, ele restringe sua dieta a alimentos como peito de frango, claras de ovo e algumas frutas antes dos treinos. Já no dia da pesagem ele realiza a desidratação (conforme mostra o vídeo abaixo) para finalmente atingir os 66 kg da sua categoria.

 

A perda de líquidos no dia da pesagem é com certeza a etapa mais perigosa de todas. Eles desidratam o corpo na sauna e ou na banheira quente sem ingerir nada e eliminam o máximo de água e sais do corpo quanto for possível. Vale lembrar que a perda de peso varia dependendo do tipo físico de cada lutador.

“A desidratação não é apenas uma questão física, o lutador tem que estar adaptado. Tem atletas que não se sentem bem. Mas alguns realmente extrapolam e chegam a perder até oito quilos fazendo apenas a desidratação. Mesmo assim, é algo para profissionais e pessoas acostumadas. Quem não está, pode morrer”, ressaltou o preparador Rafael Alejarra.

“Você ajeita o lutador ao longo de todo o treino para esse corte. O que é mais fácil de tirar e repor antes da luta? A água – ao contrário de gordura e músculos. Se não estiver com pouca gordura no corpo, ele não vai aguentar o corte. É por isso também que pessoas normais não podem fazer isso”, completou Camões.

Passada a pesagem um dia antes da luta, os atletas recuperam boa parte do que perderam. Voltam a ingerir líquidos e carboidratos em grandes quantidades e alguns chegam até a infiltrar soro na veia para ajudar a reidratação, principalmente nas primeiras horas após subirem na balança. Quando finalmente chega a hora da luta no dia seguinte, eles já recuperaram cerca de 70% de todo o peso eliminado.

“O corte de peso já fica automático depois que você faz algumas vezes. Não é muito fácil, mas já estamos acostumados. As pessoas falam que tenho problemas, mas a minha perda é muito bem controlada e isso não existe”, comentou José Aldo antes de seu último combate, contra Frankie Edgar, em fevereiro.

*Por Rodrigo Farah

Crédito da foto: UFC/Divulgação