Blog Salto Alto

Arquivo : natação

Cielo esconde nome de namorada: “É uma pessoa, mulher”
Comentários Comente

UOL Esporte

De volta ao Brasil após duas medalhas de ouro no Mundial de natação, Cesar Cielo conversou com jornalistas nesta quarta-feira e foi direto em praticamente todas as suas respostas. O único momento em que ficou embaraçado na entrevista ocorreu ao ser questionado sobre sua vida amorosa. O tricampeão mundial dos 50 m livre admitiu que seu coração já tem dona, mas não quis falar sobre a namorada.

“Saiu essa notícia? Estou namorando. A resposta seria sim, estou comprometido. É uma pessoa, mulher”, brincou o nadador. “Estou namorando vai fazer quase um ano e acho que é isso”.

A modelo Kelly Gisch seria a namorada de Cielo desde outubro de 2012, após o nadador terminar seu relacionamento com a ex-Miss Brasil Priscila Machado. O casal foi visto junto em diversos eventos, como o casamento de Thiago Pereira.

Misterioso ao falar da namorada, Cielo mostrou simplicidade ao comentar sobre sua situação financeira. O nadador disse que o sucesso nas piscinas atraiu muitos patrocinadores e o deixou sua conta bancária confortável, mas negou que tenha ficado rico com o esporte.

“Graças a Deus desde 2008 tenho grandes parceiros, muitos deles de longa data. Não sou um jogador de futebol, que ganha milhões por mês. Mas também não preciso de milhões, quero viver bem, não quero ter um avião em casa. Mais do que isso, quero ser o cara mais rápido das piscinas”, comentou Cielo.


Belo brasileiro fica em 6º no Mundial de natação. O que você diria para consolá-lo?
Comentários Comente

UOL Esporte

Já foi o tempo de Gustavo Borges e Fernando Scherer. Já foi também a melhor fase de Cesar Cielo e Thiago Pereira. Agora, sem dúvida a natação brasileira tem um novo “muso”, e ele responde pelo nome de Marcelo Chierighini.

Nesta quinta-feira, o nadador mais bonito do Brasil no Mundial de esportes aquáticos disputado em Barcelona não conseguiu igualar o desempenho apresentado nas semifinais dos 100 m livre, quando fez o terceiro melhor tempo das baterias, e terminou em sexto lugar a final da distância.

Claro, outros bonitões, o australiano James Magnussen e o norte-americano Nathan Adrian, deram o ar da graça e deixaram o pódio mais bonito com o ouro e o bronze, mas ficou faltando Marcelo.

“Sensação de ter faltado um pouquinho mais. Mas é assim mesmo, o nível é muito alto e não dá para reclamar. Não me senti bem nos primeiros 50 m”, lamentou o brasileiro ao final da prova em entrevista ao Sportv.

O Salto Alto não quer ver Marcelo Chierighini triste. Então, deixe sua mensagem de consolo ao mais belo dos nadadores brasileiros na atualidade.


Michael Jackson, Mario Bros e Pânico aparecem em maiôs do Mundial
Comentários Comente

UOL Esporte

Para você, nado sincronizado é apenas aquele esporte bonito em que nadadoras mostram suas belas pernas ao som de música clássica? Então você está desatualizado. O Mundial de esportes aquáticos que está sendo disputado em Barcelona, Espanha, tem mostrado que a modalidade, sobretudo nas provas por equipe, está muito mais aberta a temas modernos, inclusive com maiôs mais descontraídos e até decotados.

Ao longo de sete dias de competição do esporte, o que se viu foi uma verdadeira invasão da cultura pop nas piscinas do Paulau Sant Jordi. Embora algumas apresentações ainda invistam nos clássicos, como Bach e Vivaldi, outras estão mais arrojadas e permitem que se ouçam no ginásio Michael Jackson, trilhas de filmes de terror e até canções de videogame. E as roupas acompanham as novidades.

Campeãs das duas provas de dueto que disputaram em Barcelona, as russas Svetlana Romashina e Svetlana Kolesnichenko agitaram a plateia ao fazerem sua coreografia ao som de “They Don’t Care About Us”, música de Michael Jackson, vestidas com maiôs prateados que traziam o rosto do cantor.

Já as japonesas Yumi Adachi y Yukiko Inu apareceram diante do público com uniformes estampados pelo personagem Mario Bros, ícone dos videogames nas últimas décadas do século 20. De quebra, conseguiram dançar com uma trilha combinada de Super Mario e Street Fighter.

Mas quem talvez tenha mais surpreendido pela criatividade foi o conjunto mexicano, que na rotina técnica investiu no rock de “Rock Around the Clock” e na livre apareceu com maiôs e trilha sonora que faziam referência aos filmes de terror “Pânico” e “Jogos Mortais”.

A equipe brasileira, que já tem uma tradição de alguns anos de investir nos ritmos nacionais, repetiu a tática ao som de Carmem Miranda e maiôs repletos de desenhos de frutas.

Confira no álbum abaixo outros uniformes que foram destaque nas eliminatórias e finais de nado sincronizado no Mundial de Barcelona.


Nadador concilia carreira com desfiles por grifes famosas e semanas de moda internacionais
Comentários Comente

UOL Esporte


Onze anos depois de começar sua carreira, o nadador Felipe Martins conquistou no mês passado sua primeira medalha individual no adulto ao ser bronze nos 50 m borboleta, ao lado de Nicholas Santos e Cesar Cielo, no Troféu Maria Lenk, no Rio de Janeiro.

Nos últimos anos, porém, o foco maior dele não era a natação, e sim as passarelas. Desde 2009, Felipe começou a dividir seu tempo com a carreira de modelo. Em 2010 e 2011, pouco ficou no Brasil – morou durante seis meses em Nova York, cinco em Milão e no Chile.

As principais competições de natação foram substituídas pelas principais semanas de moda do mundo, desfilando, por exemplo, na São Paulo Fashion Week, na Fashion Rio e em Nova York e Milão, por grandes marcas e grifes do mundo todo.

A carreira começou por uma dica de uma modelo amiga dele, durante um evento que fazia para ganhar dinheiro, entre diversos outros ‘bicos’, como barman, salva-vidas e recreação infantil. Ao ouvir que tinha perfil de passarela, resolveu se inteirar do assunto.

“Mandei fotos para um agência, mas a princípio me recusaram. Dois dias depois, me chamaram para uma entrevista. Quatro anos depois, já fiz desfiles importantes, por marcas importantes. Tudo aconteceu muito rápido”, relembrou Felipe, em entrevista ao Salto Alto.

As experiências vividas ao longo deste tempo foram das mais curiosas. Em Nova York, por exemplo, ele conta que teve época em que tinha 10 dólares para passar a semana, já que chegou lá sem emprego fixo e vivendo dos trabalhos como modelo que fazia. Financeiramente, não valeu a pena. Mas ajudou a impulsionar a carreira.

Atualmente, Felipe namora a também nadadora Carolina Bergamaschi. Mas no período em que esteve na Itália, chegou a morar em um apartamento junto com mais 15 meninas. “Podemos dizer que enquanto eu fui solteiro eu aproveitei bastante a vida”, se diverte o atleta do Minas.

Nesta época em Milão, ele relembra também que muitas vezes teve de levar as companheiras de diversos lugares do mundo para o hospital, pois algumas usavam muita droga para se manterem magra e, claro, passavam mal.  ”O único cuidado é que tanto na natação como na moda você pode cair em erros. Vi modelos terminarem como mendigos. Ã moda é uma montanha russa de auto-estima, e muitos não aguentam”.

Depois de ficar no Top 10 do mundo nos 50 m borboleta no fim do ano passado, Felipe recebeu um convite do Minas Tênis Clube para voltar a “focar 100% na natação”. Aceitou. Em janeiro deste ano, começou a treinar pesado e a retomar a rotina na natação. Cerca de quatro meses depois, o resultado apareceu com o pódio no Maria Lenk. Agora, ele se dispõe até a abrir mão de alguns trabalhos na moda para realizar um sonho: disputar a Olimpíada do Rio, em 2016.

“Se quiser focar 100%, é bem difícil. Na natação tem que ter uma rotina diária, de acordar, treinar, almoçar direito. Na moda, não tem rotina nenhuma. É bem difícil conciliar. Eu treinava muito pouco mesmo. Esse ano é que eu me dediquei mais. Agora, fazer trabalho na moda é só quando vale muito a pena financeiramente. Até porque não posso sair do mercado”, completou.

Felipe ao lado de Cielo e Nicholas Santos, no pódio do Maria Lenk (Foto: Satiro Sodré/SSPress)

Luiz Paulo Montes
Do UOL, em São Paulo


Reality show mostrará treinos e baladas de galã multicampeão da natação
Comentários Comente

UOL Esporte

Nadador norte-americano Ryan Lochte (e) participa de brincadeira durante entrevista ao programa Late Night With Jimmy Fallon (agosto/2012)

Conforme nós contamos aqui no Salto Alto em agosto do ano passado, após os Jogos Olímpicos de Londres, o nadador Ryan Lochte passou a ser disputado a tapa pelas emissoras de TV para participar de programas de entrevistas, fazer pontas em seriados e até entrar em reality shows. De fato, o norte-americano aproveitou a fama e fez inúmeras aparições na televisão. Mas não parou por aí. O canal E! anunciou na última segunda-feira que o multicampeão olímpico e mundial será protagonista de seu próprio reality em abril.

What Would Ryan Lochte Do? (O Que Ryan Lochte faria?, em tradução literal) terá seis episódios e mostrará as três facetas do nadador: o atleta dedicado a uma intensa rotina de treinamentos visando primordialmente à Olimpíada do Rio-2016, o bonitão baladeiro e o queridinho da família.

Farão parte do reality alguns parentes de Lochte, como sua mãe Ike, o irmão Devon e as irmãs Kristin e Megan. De quebra, o seriado mostrará a coleção de tênis do esportista (são mais de 150 pares, como este ao lado utilizado no Mundial de piscina curta 2012) e seu sucesso entre as garotas nas festinhas noturnas de Gainesville, com direito à procura por um amor.

“Ryan Lochte captou a atenção de todo mundo durante os Jogos Olímpicos com suas proezas atléticas e sua maneira única de curtir a vida”, afirmou Suzanne Kolb, presidente do E!, em comunicado sobre a nova programação do canal. “Ele é uma personalidade carinhosa que também é sexy e divertida. Vendo este reality, acho que as pessoas vão se encaixar em uma de três categorias: vão querer ser como ele, vão querer dormir com ele ou vão querer protegê-lo”.

Pelos primeiros indícios, o principal intuito do canal será explorar o lado cômico de Ryan Lochte. Em suas aparições em programas de TV nos últimos meses, o nadador não se furtou a brincar diante das câmeras, fez piadas sobre ele mesmo, errou contas de matemática sem a menor vergonha e até se despiu durante o programa de moda Fashion Police.

Aos 28 anos, Lochte acumula 19 medalhas em Mundiais (12 de ouro) e outras 11 em Olimpíadas (cinco douradas).


Irmãs de Phelps têm carreira no esporte e revelam naturalidade sobre fama do nadador: ‘é apenas o Michael’
Comentários Comente

UOL Esporte

Crédito: Eduardo Munoz/Reuters

Com carreiras na natação e na corrida de rua, as irmãs de Michael Phelps provam que a vocação para o esporte é de família. Whitney e Hilary Phelps também são atletas, contam com a torcida do irmão, mas lidam naturalmente com a fama do mais premiado atleta olímpico da história.

Whitney compete em corridas de rua e participaria de sua segunda maratona em Nova York neste ano, mas o evento foi cancelado devido a destruição da tempestade tropical Sandy. Já Hilary seguiu os passos do irmão na natação e teve ótimos resultados durante a faculdade.

Michael Phelps

Michael Phelps

[tagalbum id="10356"]

Em entrevista ao jornal norte-americano USA Today Whitney e Hilary contaram como é ser irmã de Phelps e falaram sobre suas carreiras no esporte.

“Sempre nos perguntam como é ser irmã de um astro do esporte mundial e a única resposta que temos para isso é que ele é apenas o Michael pra gente. Somos como qualquer outra família que está ligada ao esporte. Sempre vamos torcer pelo nosso irmão e ele torceria pela Whitney na Maratona de Nova York”, explicou Hilary.

Já Whitney revelou receber alguma ajuda do irmão nos treinos para as corridas. “São esportes diferentes, a maratona é bem mais longa. Mas você consegue aplicar os aprendizados da piscina nas corridas quando se trata de determinar objetivos e saber como se equilibrar treinamentos de resistência e intensidade”.

E o apoio de Phelps não é só para as irmãs. Hoje aposentado, o nadador afirma que se orgulha de sempre ter sempre se empenhado em elevar a natação para “um próximo nível”.

“As conquistas individuais nunca foram minha motivação. Eu pensava sempre em como poderia alcançar meus objetivos, no que poderia trazer para a natação, no que poderia fazer para elevá-la a um próximo nível”, disse sobre sua carreira.

Michael Phelps anunciou aposentadoria das piscinas neste ano, após os Jogos Olímpicos de Londres. Antes, porém,  alcançou o recorde de maior medalhista olímpico da história. O nadador conquistou 22 medalhas na Olimpíada (18 ouros, 2 pratas e 2 bronzes).


Esportistas esbanjam charme e mostram como usar barba e bigode com estilo
Comentários Comente

UOL Esporte

Usar barba e/ou bigode não é tarefa fácil para nenhum homem. Muitas vezes pode parecer desleixo, deixar o visual envelhecido e incomodar a amada em um momento de carinho. Mas rostinho liso de bebê já não é unanimidade entre os atletas. Pelo contrário, alguns dos esportistas mais charmosos do momento são adeptos justamente do estilo mais rústico.

Confira abaixo alguns desses bonitões. As imagens podem servir de inspiração ou de pura admiração.


Cielo termina namoro com Miss Brasil 2011, diz jornal
Comentários Comente

Salto Alto


Crédito da foto: Orlando Oliveira/AgNews

O nadador Cesar Cielo é o mais novo solteiro da praça. De acordo com a coluna Retratos da Vida, do Jornal Extra, o campeão olímpico de Pequim-2008 terminou o namoro com Priscila Machado, Miss Brasil 2011.

O casal ficou junto durante oito meses e Priscila acompanhou o namorado nos Jogos Olímpicos de Londres, competição em que Cielo conquistou a medalha de bronze no 50 m.

Ainda segundo informações do jornal, a assessoria do nadador não comentou o possível fim do romance, enquanto a modelo confirmou o rompimento durante o Miss Brasil 2012 no último sábado.

Cesar Cielo

Cesar Cielo

[tagalbum id="10302"]


Com a aprovação de Donald Trump, Ryan Lochte se encanta pela Miss EUA
Comentários Comente

UOL Esporte

Agora que não precisa se dedicar tão intensamente aos treinamentos, já que conquistou 5 medalhas na recente Olimpíada de Londres, o nadador Ryan Lochte tem badalado tanto quanto pode na noite norte-americana. E num desses inúmeros compromissos sociais, o multimedalhista pode ter conhecido seu novo amor: a atual Miss Estados Unidos, Olivia Culpo.

O belo casal se conheceu na última quarta-feira, dia 5 de setembro, durante um dos eventos da Semana de Moda de Nova York. Segundo noticiado pelo jornal “Daily News”, Lochte, de 28 anos, ficou encantado com Olivia, de 20, e só quis saber de conversar com ela durante uma festa com jantar no restaurante Four Seasons, estendendo o papo até 1h da manhã.

O nadador não perdeu tempo e convidou a Miss para acompanhar outro evento que ele comandaria na noite seguinte, mas levou um fora educado, já que Olivia tinha compromisso marcado. O reencontro, então, ficou para a sexta-feira, em mais um desfile da Fashion Week de NY.

Ryan Lochte

Ryan Lochte

[tagalbum id="10376"]

Para sorte do nadador, ele ganhou um apoio de peso em suas investidas sobre a moça. O empresário Donald Trump, que entre outros negócios é dono do concurso de Miss EUA, posou ao lado dos possíveis futuros pombinhos. “Ele já conseguiu muitas medalhas, assim como você”, brincou o milionário.

As conversas e risadas de Lochte e Olivia não passaram em branco pelos jornalistas, que logo levantaram suspeitas sobre o relacionamento. E segundo fontes próximas ao casal, uma união está próxima.

“Ainda é tudo muito novo, porque eles acabaram de se conhecer, mas eles claramente se gostaram”, disse uma pessoa entrevistada pelo “Daily News”. Uma porta-voz de Lochte usou o mesmo tom, de negar um namoro, mas reconhecer uma amizade promissora. “Eles estão se dando bem e têm estado juntos em alguns eventos, mas pelo que eu sei, não estão namorando”.


Salto Alto Olímpico – Veja quem são os belos que deixarão saudade na natação
Comentários Comente

Salto Alto

Depois de oito dias de competição nos Centro Aquático, as provas da natação estão encerradas nos Jogos Olímpicos de Londres (com exceção da maratona aquática, disputada em mar aberto) e com certeza deixarão saudades. É lógico que as disputas emocionantes, os recordes batidos, os ouros de Michael Phelps e tudo mais ficarão na lembrança do público, mas impossível não ressaltar os belos nadadores que passaram por lá e que encantaram pelo talento dentro e fora da água.

Pensando nisso, o Salto Alto preparou uma lista com os dez nadadores mais belos da Olimpíada que ganharam nossos corações e farão falta nas imagens televisivas e fotos. A boa notícia é que daqui a quatro anos, eles devem desfilar toda essa beleza em solo brasileiro nos Jogos do Rio de Janeiro.

Nome: Florent Manaudou

Prova: 50 m livre

Saldo: Positivo

Estreante em Olimpíada, o nadador francês chegou em Londres à sombra da irmã, a musa da modalidade Laure Manaudou, mas surpreendeu o mundo e ficou com o título do homem mais rápido das piscinas. De quebra, desbancou Cesar Cielo, maios esperança brasileira de ouro nestes Jogos.

Nome: Bruno Fratus

Prova: 50 m livre

Saldo: Positivo

Os Jogos de Londres também marcaram a estreia do brasileiro Bruno Fratus em Olímpiada. O nadador carioca terminou em quarto lugar nos 50 m, apenas dois centésimos atrás do compatriota Cesar Cielo, e quase abocanhou um lugar no pódio.

Nome: Ryan Lochte

Provas: 200 m livres, 200 m peito, 200 m medley, 400 m medley, 4×100 m livre e 4×200 m livre

Saldo: Positivo

Grande rival de Phelps, o norte-americano Ryan Lochte terminou a Olimpíada com cinco medalhas: dois ouros, duas pratas e um bronze. Ficou fora do pódio apenas na disputa dos 200 m livre, mas nada que abale o seu prestígio e o deixe fora da lista de musos de Londres.
Nome: Cullen Jones

Provas: 50 m livre, 100 m livre, 4×100 m livre e 4×100 medley

Saldo: Positivo

Cullen Jones também chamou atenção no Centro Aquático de Londres. O norte-americano ganhou um ouro e duas pratas em sua campanha olímpica, também ficando à frente de Cielo nos 50 m livre.

 

Nome: Camille Lacourt

Prova: 100 m costas e 4×100 m medley

Saldo: Negativo

O nadador francês faz parte da lista dos mais belos atletas das Olimpíadas e com certeza neste quesito figura no pódio. Porém, dentro da piscina, Lacourt não conseguiu nenhuma medalha e volta para casa com um quarto e um sexto lugar.

Nome: James Magnussen

Prova: 50 m livres, 100 m livres, 4×100 m e 4×100 m medley

Saldo: Negativo

O ‘falastrão’ australiano chegou a Londres como grande favorito nas provas rápidas da natação, mas apesar da conquista de duas medalhas, uma prata nos 100 m e um bronze nos 4×100 m medley, sai desapontado por ter caído ainda na semifinal dos 50 m e não ter subido ao lugar mais alto do pódio em nenhuma oportunidade.

Nome: Nathan Adrian

Prova: 100 m, 4×100 m e 4×100 m medley

Saldo: Positivo

O nadador norte-americano surpreendeu e levou a medalha de ouro na prova mais tradicional da natação, os 100 m livres. Adrian conseguiu mais duas medalhas, outro ouro e mais uma prata, nas provas de revezamento.

Nome: Marcelo Chierighini

Prova: 4×100 m livre e 4×100 medley

Saldo: Negativo

Um dos rostos (e corpos) mais bonitos da natação em Londres, o brasileiro Marcelo Chierighini fez parte da equipes de revezamento do Brasil. Porém, fracassou com os compatriotas na tentativa de levar ao Brasil pelo menos às finais das provas.

Nome: Chad Le Clos

Prova: 100 m borborleta, 200 m borboleta, 200 m medley, 400 m medley, 4×200 m e 4×100 m medley

Saldo: Positivo

O sul-africano Chad Le Clos surpreendeu na final dos 200 m borboleta e bateu o fenômeno norte-americano Michael Phelps nas braçadas finais para conquistar a medalha de ouro. Le Clos ainda levou a prata nos 100 m do mesmo estilo e chorou na piscina. Lindo e emotivo. Nome: Christian Sprenger

Prova: 100 m peito e 4×100 medley

Saldo: Regular

Sprenger terminou sua participação olímpica no pódio nas duas provas que disputou, prata nos 100 costas e bronze nos 4×100 m medley. Foi um dos poucos destaques australianos na natação.

Belos da Olimpíada

Belos da Olimpíada

[tagalbum id="17415 AND 30310"]