Blog Salto Alto

Arquivo : julho 2012

Salto Alto olímpico – Nadadores fogem do ‘pretinho básico’ e adotam bermudas e maiôs coloridos
Comentários Comente

UOL Esporte

A era dos supermaiôs ficou para trás na natação, e agora os nadadores só podem competir de sunga, bermuda e maiôs curtos (no caso das mulheres). Mas mesmo com menos pano do que na Olimpíada de Pequim, há quatro anos, os atletas têm usado roupas mais coloridas na piscina do centro aquático de Londres.

Se você ainda não tinha reparado nisso, talvez tenha percebido hoje, quando Cesar Cielo usou verde-limão e depois azul para nadar os 100 m livre. Também tem rosa, branco acinzentado com detalhes laranjas, azul desenhado e outros modelos.

LEIA MAIS NOTÍCIAS SOBRE A OLIMPÍADA-2012 NO UOL

A maior variedade de cores, fugindo do pretinho básico de antes, foi promovida pela Arena, principal fornecedora de roupas para nadadores, que continua criando uniformes tradicionais, de cor preta e grafite, mas que resolveu deixar as piscinas mais coloridas durante as competições.

Confira no álbum abaixo os visuais já vistos na natação em Londres-2012.


Pais de ginasta americana roubam a cena e repetem série da filha na arquibancada
Comentários 5

UOL Esporte

Os orgulhosos pais da ginasta norte-americana Aly Raisman deram um hilário e tenso espetáculo na arquibancada enquanto a filha de 18 anos competia nas barras assimétricas, nas eliminatórias da ginástica feminina no último domingo na Olimpíada de Londres.

O vídeo, captado pela rede de TV americana NBC, mostra o casal, devidamente uniformizado com camisas oficiais da equipe dos EUA na competição, acompanhando a apresentação de Aly. Nervosa, a mãe repete “vamos lá” sem parar, dá ordens e diz que não aguenta a tensão. O pai é mais silencioso mas, antes de desabafar com um grito no final,  acompanha a esposa quando, a partir de determinado ponto, ela e o marido começam a repetir com o corpo os movimentos da série da filha, sem tirar os olhos da apresentação. Parece um carrinho de montanha-russa.

Desnecessário dizer que o flagra se tornou assunto na imprensa americana e entre os colegas da adolescente Aly. A ex-ginasta Shawn Johnson, por exemplo, postou no Instagram uma foto do momento em que assistia ao show dos pais da companheira de esporte. “Os pais de Aly na TV. Muito fofo”. A própria ginasta foi uma das primeiras a reproduzir o vídeo em seu Twitter, com a mensagem “eu amo meus pais”.

Ah, vale lembrar que o empurrão dos pais deu resultado. Aly Raisman ficou em segundo lugar na classificação geral e avançou a cinco das seis finais possíveis.

Assista ao vídeo abaixo.

[uolmais type="video" ]http://mais.uol.com.br/view/13079658[/uolmais]


Salto Alto olímpico – ‘Onipresente’, Michelle Obama já aparenta cansaço em Londres
Comentários 7

UOL Esporte

Oficialmente, este domingo foi apenas o segundo dia dos Jogos Olímpicos de Londres, mas já tem gente aparentando cansaço por lá. Embaixadora do “Team USA”, Michelle Obama tem feito questão de aparecer nos principais eventos esportivos de sua delegação, mas as fotos flagram que a carismática primeira-dama dos Estados Unidos já está sentindo o peso das andanças.

As primeiras aparições ‘olímpicas’ de Michelle foram na sexta-feira, mas bem antes da cerimônia de abertura. Pela manhã, a primeira-dama encontrou-se com alguns atletas da delegação americana e depois participou de um evento na embaixada de seu país em Londres, onde até se aventurou em algumas atividades.

Ainda na sexta-feira, Michelle Obama reuniu-se com outros representantes de países e chefes de Estados no Palácio de Buckingham, em uma recepção com os principais membros da família real britânica, entre eles a Rainha Elizabeth II e a princesa Kate Middleton, a duquesa de Cambridge. Para fechar o dia, foi ao estádio olímpico acompanhar de perto a festa que deu início aos Jogos.

No sábado, primeiro dia de provas, Michelle já emendou dois esportes de uma vez. Pela manhã, esteve em Wimbledon para acompanhar a vitória de Serena Williams no tênis sobre Jelena Jankovic. À noite, foi ao centro aquático e viu o inesperado quarto lugar de Michael Phelps nos 400 m medley – em prova em que Ryan Lochte ficou com o ouro e o brasileiro Thiago Pereira levou a prata.

Neste domingo, a primeira-dama pegou mais leve na programação. Pela manhã, tomou café-da-manhã com convidados e ex-atletas. Depois, partiu para o jogo de basquete entre Estados Unidos e França e recebeu beijos na mão de todos os atletas do Dream Team. Ufa, cansou, heim?!

Veja abaixo outros destaques do domingo em Londres.

Pica-pau chinês

A seleção chinesa de basquete não conseguiu parar a Espanha em sua estreia nos Jogos Olímpicos. Porém, teve muito torcedor no ginásio que deixou o jogo de lado para reparar no exótico cabelo do chinês Sun Yue.

Ele terminou a partida com apenas três pontos marcados, mas com certeza venceu a disputa no quesito visual com os fios arrepiados e pintados de  vermelho à la Pica Pau.

Mãe-coruja na família real

A família real britânica voltou a ter uma representante nos Jogos após 36 anos. Com a participação da amazona Zara Phillips, a princesa Anne, mãe da atleta, deixou os trajes de gala de lado para acompanhar o desempenho da filha e entrou completamente no clima olímpico. Até a bolsa trazia os aros, símbolos dos Jogos Olímpicos. Isso que é animação, não?

Superpoderosa do dia

O destaque feminino do dia em Londres foi a nadadora Dana Volmer. A norte-americana, que em 2003 foi submetida a uma cirurgia no coração, conquistou hoje seu primeiro ouro olímpico individual e ainda conseguiu a proeza de quebrar o recorde mundial dos 100 m borboleta. Vale lembrar que derrubar marcas têm sido raro na nova fase da natação, em que não são mais permitidos os supermaiôs. Ponto para a garota de 24 anos.


Salto Alto olímpico – 1º dia tem tenistas com vestidos iguais e bonitão de gosto duvidoso
Comentários 2

UOL Esporte

Agora sim, começaram oficialmente os Jogos Olímpicos de Londres! E se no site especial do UOL Esporte você poderá acompanhar todos os resultados, medalhas, recordes e decepções, aqui no Salto Alto a gente fará diariamente um resumo da parte pouco esportiva do evento. Hoje, quem falou mais alto foi a moda. Confira abaixo.

Essa roupa é minha

A grama sagrada de Wimbledon ganhou algumas cores para a disputa do tênis dos Jogos de Londres. Porém, a maioria das tenistas seguiu a tradição recomendada no Grand Slam para que atuem preferencialmente de branco. Até aí tudo bem. O problema foi a falta de criatividade de uma fornecedora de materiais esportivos, que vestiu a maior parte de suas jogadoras com roupas idênticas. Flavia Penetta, Sorana Cirstea, Ana Ivanovic, Daniela Hantuchova e Kim Clijsters, essa última que só se diferenciou pela cor do short, são algumas presentes neste grupo. Faltou glamour para uma primeira rodada em Olimpíada, não meninas?

“Fauna” no handebol não agrada

A seleção brasileira de handebol estreou bem em Londres com uma grande vitória sobre a Croácia.

Mas o que mais chamou atenção na partida foi o short do uniforme brasileiro. Com estampa de onças e araras, a peça não agradou os torcedores e foi assunto no Twitter.

Gato com gosto duvidoso

A natação teve o primeiro grande clássico da Olimpíada neste sábado, na final dos 400 m medley. Na prova em que Thiago Pereira conquistou uma prata, Ryan Lochte ignorou todos os recordes de Michael Phelps, faturou o ouro e viu seu maior rival sequer subir ao pódio.

Não à toa, Lochte foi o bonitão do dia – com chances concretíssimas de ser o bonitão dos Jogos. No entanto, na hora da premiação, ele escondeu o sorriso lindo que faz as fãs babarem e usou um de seus típicos protetores bucais. Num estilo, no mínimo, inusitado.

Superpoderosa do dia: Sarah Menezes

O título de Menina Superpoderosa neste primeiro dia de competições em Londres não poderia ficar com outra senão com a judoca Sarah Menezes.

Com uma campanha perfeita, a atleta conquistou a primeira medalha dourada das mulheres brasileiras na modalidade. Tem a força essa piauiense!

 


Médico recomenda cuidados, mas não prevê riscos para atleta grávida na Olimpíada
Comentários Comente

UOL Esporte

Na vida agitada da sociedade atual, o sonho da maternidade deixou de ser unânime entre mulheres. Porém, na grande maioria, o instinto maternal ainda fala mais alto e elas se desdobram para acumular funções e dar conta do recado. No caso das atletas não é diferente. Elas tomam cuidados básicos, mas não perdem o pique.

A malasiana Nur Mohamed Suryani Taibi, atleta do tiro de 29 anos, é um exemplo disso. Grávida de oito meses, ela é uma das atrações do primeiro dia de disputas dos Jogos Olímpicos de Londres e entrará em ação neste sábado. Mesmo com o incômodo do “barrigão”, que em breve dará luz a uma menina (Dayana Widyan), Taibi, que já é a primeira mulher da Malásia a disputar uma Olimpíada, pode fazer história e conquistar uma inédita medalha de ouro para seu país.

No entanto, se você acha loucura a participação de Taibi nos Jogos de Londres, os especialistas não veem tantos problemas assim para mulheres que já pratiquem esportes com frequência.

“Para a atleta que já é atleta não existe risco, a não ser que ela gere alguma patologia durante a gestação. É uma paciente que já é treinada para aquilo. Quando não tem prática, o risco é maior”, explica o ginecologista e obstetra Anderson Zei, ouvido pelo Salto Alto.

De acordo com Zei, a atividade física é algo importante para as gestantes, sejam elas atletas ou não. O especialista recomenda ainda exercícios na água, que causam pouco impacto. “Atividades que diminuam o impacto e que sejam aquáticas já funcionam como uma fisioterapia pélvica de preparação para o parto”, conta.

Nur Mohamed Suryani Taibi estará na disputa da carabina de ar de 10 m, prova que começa às 4h15 e cuja final deve acontecer às 7h (horários de Brasília).

(por Aline Küller)

Leia também: Grávida de oito meses, malaia busca no tiro a primeira medalha de ouro para seu país

Crédito da foto: Rebecca Blackwell/AP Photo

[uolmais type="video" ]http://mais.uol.com.br/view/13004806[/uolmais]


Guia Salto Alto – 10 fatos que você precisa saber sobre a Olimpíada, que começa hoje
Comentários 27

UOL Esporte

Nesta sexta-feira, começam oficialmente os Jogos de Londres, com a cerimônia de abertura a partir das 17h. Por isso, se você não é viciada em esportes ou bem desligada mesmo, o Salto Alto preparou um guia para você entender alguns pontos básicos sobre a Olimpíada, desde os esportes bizarros que aparecem no calendário, até os direitos de televisão, passando pela relevância mínima do Brasil no quadro de medalhas. É aquele resumão para você não ficar boiando nas conversas e entender o que vale – e o que não vale – a pena nas próximas duas semanas.

 1-Esqueça a Globo, agora é Record

Culturalmente, nós brasileiros estamos acostumados a acompanhar os grandes eventos esportivos pela Rede Globo. Nesta Olimpíada, porém, é diferente. Assim como no Pan do ano passado, os direitos de transmissão pertencem apenas à Record, então se você quiser assistir aos Jogos na TV aberta, terá que sintonizar na emissora paulista. Entre os canais fechados, Sportv, ESPN e Bandsports são as opções.

2-Nada de Messi e Nadal

Jogos Olímpicos costumam reunir os grandes astros do esporte mundial. É gente de todos os esportes e países e quase todos os tops de cada modalidade. É isso: quase. Se você não tem acompanhado muito o noticiário olímpico, a gente avisa: as estrelas Rafael Nadal e Lionel Messi não estarão em Londres. O tenista está com uma lesão no joelho, e o jogador não poderia jogar porque a seleção argentina sequer se classificou no futebol masculino. Veja aqui as principais ausências dos Jogos.

3-Olimpíada, celeiro de deuses gregos

Os deuses gregos sempre foram retratados na mitologia como homens de belo porte físico, e é justamente isso que a gente mais vê nas Olimpíadas: corpos esculturais, tanto de homens quanto de mulheres. Claro que nosso foco aqui são os belos, e nesses Jogos, musos não faltarão: tem Ryan Lochte, Teddy Riner, Camille Lacourt, Cesar Cielo,Serge Ibaka… Mas tem muita mulher bonita também. É só ficar de olho nos nossos álbuns de belos e belas!

4-Lendas em ação

Ver a história ser feita é sempre um privilégio, em qualquer setor, e no esporte não é diferente. Todas as Olimpíadas têm suas lendas e feitos heroicos, e em Londres três nomes devem ser acompanhados mais de perto do que quaisquer outros: Michael Phelps, da natação, pode se tornar o maior recordista de medalhas de todos os Jogos; Usain Bolt pode quebrar mais três recordes mundiais e virar o maior velocista de todos os tempos; e Yelena Isinbayeva pode se sagrar tricampeã de salto com vara e bater o recorde mundial pela 18ª vez. Veja como estão os preparativos das lendas.

5-Atenção: o Brasileirão não para

Sim, isso é muito importante. Se você acha que por causa das Olimpíadas o seu namorado/marido/pai/amigo não vai ver aquele futebolzinho na TV no domingo e na quarta-feira pelas próximas duas semanas, está enganada. O Campeonato Brasileiro não para em função dos Jogos, e Globo, Band e Sportv continuarão mostrando as partidas.

6-Futebol feminino é melhor do que o masculino

Nem mesmo as praticantes de futebol feminino devem achar os jogos entre mulheres melhores do que os dos homens, mas na Olimpíada é diferente. É só você comparar a primeira rodada: no feminino, houve os clássicos Canadá x Japão e Estados Unidos x França. No masculino, os nada empolgantes Reino Unido x Senegal e Emirados Árabes e Uruguai. O motivo principal para isso é que, nos Jogos Olímpicos, podem participar do futebol masculino apenas atletas com até 23 anos. Assim, a maioria dos jogadores é desconhecida e tem uma penca de times fracos.

7-Olimpíada não é Pan, e o Brasil não é potência

Se você acompanhou o Pan do ano passado, em Guadalajara, e acha que o Brasil repetirá em Londres as mesmas 141 medalhas conquistadas no México, esqueça. Jogos Pan-Americanos juntam apenas seleções aqui da América, com direito a times B dos Estados Unidos. Por isso as equipes brasileiras vão tão bem. Olimpíada é coisa de gente grande, tem atleta top do mundo todo, e por isso nossa expectativa é de alcançar apenas de 15 a 20 medalhas.

8-Quadro de medalhas, essa incógnita

Muita gente não entende como funciona a classificação dos países no quadro de medalhas das Olimpíadas. Por que um país que conquista 10 pódios pode ficar abaixo de um com apenas um ouro? Porque medalhas douradas valem mais do que todas as outras. A regra é simples (mais ou menos): quem tem mais medalhas de ouro vence o quadro. Depois valem as pratas e só depois os bronzes. Veja o quadro de 2008, por exemplo, e perceba que o Brasil e suas 15 medalhas ficaram em 23º lugar, enquanto a Romênia e suas 8 ficaram em 17º.

9-Peteca, arco e flecha e pingue-pongue

Olimpíada é sempre uma ótima oportunidade de a gente ver que outros esportes existem, além de futebol, vôlei, basquete, atletismo e natação. Mais interessante ainda é reparar que algumas modalidade curiosas são olímpicas. São, por exemplo, os casos do tênis de mesa, tiro com arco e badminton, que muita gente pode confundir com os simples pingue-pongue, arco e flecha e peteca. Não brinque: são esportes sérios, que valem medalha como qualquer outro.

10-Mulheres sem restrição

Embora já estejamos no século 21, todas as Olimpíadas até hoje tiveram restrição às mulheres por parte de alguns países. Enfim, esse tabu caiu quando Arábia Saudita, Qatar e Brunei, os últimos resistentes, liberaram a participação feminina para os Jogos de Londres. Vale também mencionar que será a primeira vez do boxe feminino em Olimpíadas e que as jogadoras de vôlei de praia poderão usar shorts em vez de biquínis se preferirem.

 


Princesa usa vestido de R$ 110 e pés descalços para suar em eventos esportivos
Comentários 14

UOL Esporte

Créditos das fotos: Arthur Edwards/AFP e Chris Jackson/Reuters

A Duquesa de Cambridge Kate Middleton sempre foi conhecida pelo hábito de misturar peças de luxo e de lojas de “gente como a gente” em seu guarda-roupa. Às vésperas da abertura oficial dos Jogos Olímpicos,  a ala mais jovem da família real participou nesta quinta-feira de uma série de eventos de lançamento de projetos esportivos. Kate, William e Harry jogaram tênis de mesa, futebol e assistiram a uma luta de judô.

Sabendo que não há nada mais cafona do que aparecer vestida de princesa para suar com a garotada, Kate Middleton escolheu um vestido que está em liquidação na loja inglesa Hobbs, e custa R$ 110 (aqui tem).  Nos pés, um casual par de espadriles – que ela tirou na hora de subir no tatame, entendendo que não se pode usar sapatos sobre o solo dos judocas.

Kate manteve a escolha das espadriles (mas de outra cor) para um outro evento do corrido dia.  Com uma camisa branca que faz parte do guarda-roupa da equipe britânica, ela acompanhou a passagem da tocha olímpica pelo Palácio de Buckingham usando uma calça jeans color de modelo skinny justíssimo, com direto a zíper nos tornozelos.


Lochte comemora solteirice em Londres e “ensaia” affair com nadadora australiana
Comentários Comente

UOL Esporte


Crédito da foto: EFE/Barbara Walton

Alheio à pressão dos Jogos Olímpicos, o nadador norte-americano Ryan Lochte, grande rival de Michael Phelps, está desfilando todo o seu charme pelo Centro Aquático de Londres. Solteiro, o belo campeão já teria escolhido um alvo para seus flertes: a sortuda nadadora australiana Blair Evans, de 21 anos.

O possível affair entre os dois nadadores ganhou destaque nos jornais australianos.  De acordo com as publicações, Lochte se aproximou várias vezes para falar com Evans, mas realmente partiu para o ‘ataque’ dentro da água, quando pegou na mão da nadadora na piscina, longe das câmeras.

Antes dos Jogos, o norte-americano comemorou o fato de chegar ao torneio solteiro. “Na minha última Olimpíada, eu tinha uma namorada, um grande erro. Agora eu estou solteiro, então Londres será realmente bom”, declarou.

Porém, uma teoria da conspiração assombra o  ‘conto de fadas’ das piscinas. Segundo alguns, o romance seria uma armadilha do multicampeão Phelps, rival de Lochte nas provas dos 200m e 400m Medley, para desconcetrar o compatriota.

Leia também: EUA controlam rivalidade e separam Phelps e Lochte nas piscinas e até em entrevista coletiva


Unhas pintadas com as cores das bandeiras viram febre entre as atletas em Londres
Comentários 4

UOL Esporte

Crédito da foto: Alexander Hassenstein/Getty Images

Pense em uma cor. Provavelmente, já há algum esmalte nela. Por isso, unhas coloridas não são mais suficientes a uma mulher na hora de chamar a atenção. É isso que se tem visto na Olimpíada de Londres, seja nos treinamentos ou nas competições que já começaram.

Para mostrar todo seu amor à terra natal, grande parte das esportistas tem apresentado visuais bem patrióticos nas mãos, e as britânicas são as mais devotas ao país que vai sediar os Jogos de 2012. São cores misturadas, brilhos, desenhos e até uma simulação de fogo!

O Salto Alto reuniu algumas dessas unhas pra você. Confira no álbum abaixo.